Trending This Week:

ads

31 de jan de 2011

Indecisão - Crônicas (Antonielson Sousa)

Imagem

Quando agente pensa que entende e agente sente que é seguro, descobrimos logo as fraquezas. Não somos completos, nem constantes, talvez proliferações a caminho do obscuro.

É esse tal amor que vive nos provocando. Eu bem sei a irresistível beleza que te exerce e a maneira com que se insinua para mim, mas sou culpado quanto a isso, meus olhos, cúmplices, que o digam. 

E toda vez é a mesma coisa: ter que suportar tua presença, minha ausência do que é de mim e nossa indecisão. Ora, meu drama é esse silêncio, que vira e meche, continua confundindo-me.

São essas interpretações exaustivas de uma realidade simultânea a que assistimos que me faz complacente com o ato de querê-la sempre e sempre.

E as lembranças daquele outro dia continuam corroendo-me. Como seus lindos pés sobre a cama que anunciavam a formosura sem sinuosidade e a voz mansa e intrépida rasgando interrogações dentro de mim. “Tudo te procura”. Eu te procuro, mas insiste em ignorar-me. Até quando?

Crônica escrita por Antonielson Sousa

Disqus Shortname

Comments system